sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Projeto de democratização do acesso ao cinema brasileiro - VILA PIAUÍ



A primeira exibição do Cine B com a programação de novembro/ dezembro foi um sucesso em Vila Piauí, zona oeste de São Paulo. 160 pessoas estiveram presentes curtindo o longa Eu e meu guarda chuva, de Toni Vanzolini, e o curta metragem Procura-se, de Iberê Carvalho.


O Cine B esteve semanas antes com uma barraca para distribuir ingressos, na Festa das Nações de Vila Piauí 

A comunidade reclama da falta de espaços culturais e de lazer na região. 

“O povo sem cultura não é nada. Precisamos incentivar o conhecimento”, diz a agente comunitária, Marta Sanches. “Nosso bairro não tem nada para lazer e cultura, por isso todo mundo acha importante que tenha eventos como o Cine B”.


Na abertura da exibição, as agentes comunitárias Marta Sanches com o microfone, Elisa Talassi, e Cidálio Vieira Santos, coordenador do Cine B 

“O brasileiro tem costume a achar o que é estrangeiro, melhor. Precisamos incentivar mais o pessoal para valorizar os filmes produzidos na nossa terra”, comenta a chefe dos Lobos do Grupo de Escoteiros Tocantins 112, Andrea Carvalho. 

Ela inclusive conta como acontece na casa dela o “lobby” em favor do cinema nacional. “Sempre que vou assistir um filme brasileiro, meu marido faz cara feia, diz que não gosta. Aí depois acaba assistindo e acha bom”, conta Andrea.


O Grupo de Escoteiros Tocantins 112, Alcatéia, com a chefe dos lobos, Andrea Carvalho segurando o mascote da turma, Paulo Henrique, de 1 ano.

Para a vizinha de Andrea, Luciana da Silva Lopes, só quando a gente passar a assistir mais os filmes produzidos por nossos conterrâneos é que vamos melhorar nosso Brasil e o cinema nosso de cada dia. 

“Temos ótimos atores, e já produzimos tanto filmes quando novelas que não deixam nada a desejar”, diz Luciana.

E por isso fomos super elogiados na abertura da sessão pelo Padre Sérgio Antonio Bernardi.


“Esta é uma ótima iniciativa e por isso quero pedir uma salva de palmas para o Cine B e o Sindicato dos Bancários de São Paulo”, diz o Padre Sérgio, com o microfone, ao lado do coordenador do Cine B, Cidálio V. Santos

Original em: Cine B

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.